Buscar
  • Dra. Cláudia Klein

Impacto da Atividade Física em Idosos

A atividade física tem se destacado como uma das ações mais importantes que pessoas de todas as idades podem fazer para melhorar a saúde.


Diferentes estudos observacionais apontam que a mortalidade prematura é estatisticamente reduzida em indivíduos fisicamente ativos em comparação com indivíduos inativos!


Devido a escassez de boas pesquisas sobre a relação dos níveis de atividade física e longevidade em ensaios clínicos, um estudo norueguês buscou, por meio de um ensaio clínico randomizado, investigar o efeito do exercício físico na mortalidade em idosos.


O estudo Generation 100 é um longo e grande ensaio clínico controlado randomizado de exercícios em uma população geral de adultos mais velhos (70-77 anos). Os participantes foram separados para duas sessões semanais de treinamento intervalado de alta intensidade - cerca de 90% do pico de frequência cardíaca (HIIT) e treinamento contínuo de intensidade moderada - cerca de 70% do pico de frequência cardíaca (MICT). Já o grupo de controle seguiu as diretrizes nacionais de atividade física.


O estudo buscou avaliar o efeito de cinco anos de treinamento físico supervisionado em comparação com as recomendações de atividade física sobre a mortalidade em idosos (70-77 anos). A hipótese exploratória era que o HIIT reduz a mortalidade mais do que o MICT.


O estudo não encontrou diferenças nas causas de mortalidade entre um grupo de exercícios combinados (MICT e HIIT) e um grupo que seguiu as diretrizes norueguesas para atividade física (grupo de controle).


Foi observado uma redução não significativa do risco absoluto de 1,7% em todas as causas de mortalidade no grupo HIIT em comparação com o grupo controle, e uma redução não significativa do risco absoluto de 2,9% em todas as causas de mortalidade no grupo HIIT em comparação com o grupo MICT.


Esta pesquisa indica que MICT e HIIT combinados não têm efeito sobre todas as causas de mortalidade em comparação com os níveis de atividade física recomendados. No entanto, foi observado uma tendência mais baixa de mortalidade por todas as causas após HIIT em comparação com controles e MICT! Os dados, portanto, sugerem que o HIIT reduz o risco de morte prematura em comparação com as diretrizes recomendadas e MICT.


O que este estudo nos acrescentou, afinal?

  • As causas de mortalidade não diferiram entre o grupo de exercícios combinados de alta e moderada intensidade e o grupo que segue as diretrizes de atividade física recomendadas;

  • Maiores benefícios para a saúde foram encontrados naqueles que realizaram principalmente exercícios de alta intensidade, em vez de exercícios de intensidade moderada;

  • Os resultados sugerem que as futuras diretrizes para atividade física, pelo menos para adultos mais velhos, devem ser mais específicas ao exigir que pelo menos parte da atividade física seja realizada em alta intensidade.



18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Tratamentos injetáveis na reposição de nutrientes

Os tratamentos injetáveis são ótimos quando pensamos na reposição de nutrientes - como aminoácidos, vitaminas, antioxidantes e minerais. Eles podem ser feitos via EV (endovenosa) e IM (injeção intramu

Relação da Vitamina B12 com a fadiga

Atualmente, é cada vez mais frequente a queixa de cansaço e fadiga. Quando estamos sem energia, a primeira coisa que pensamos em fazer é checar é se há alguma deficiência de ferro. Apesar de esta ser