Buscar
  • Dra. Cláudia Klein

Os benefícios do banho frio

Para muita gente, o banho frio pode ser um sofrimento! Mas outras várias pessoas se acostumaram com a temperatura mais baixa da água e chegam a achar até prazeroso... independentemente do (des)conforto, o banho frio é muito conhecido por apresentar diversos benefícios para o corpo, assim como o banho muito quente conta muitos malefícios.


Os benefícios do banho frio


O banho frio estimula o corpo a sair do estado de sonolência e auxilia em processos inflamatórios. Além disso, acelera o metabolismo, ajuda na digestão e combate doenças de pele. Por não ser um banho que provoca sensação de “abraço” e conforto, normalmente é mais rápido, colaborando com a diminuição no gasto de água – que também não fica escorrendo até esquentar.


Para o banho frio tornar-se um hábito, a pessoa deve começar colocando pequenas partes do corpo, como tornozelos e mãos, para que aconteça a adaptação à temperatura da água. Outra estratégia é iniciar o banho com uma água morna e depois esfriar aos poucos.


Lembre-se: tudo é questão de costume, mas você não é obrigado a nada!!!


Banho frio vs. Banho quente


O banho frio provoca um aumento na circulação sanguínea, que, por sua vez, fornece mais oxigênio ao corpo, porque a temperatura da água é menor que a do nosso corpo.


Para pessoas com depressão, as duchas frias podem ajudar como uma espécie de hidroterapia. A água fria envia muitos impulsos elétricos para o cérebro e agitam o sistema para aumentar o estado de alerta, a clareza e os níveis de energia. Esse efeito leva a sentimentos de bem-estar e otimismo. Claro que o tratamento médico e psicoterapêutico não deve ser substituído pelo banho frio; esta é apenas uma alternativa para a produção natural de endorfina - hormônio da felicidade.


O banho quente costuma ser mais lento, pois a sensação de conforto faz com que a pessoa passe mais tempo embaixo do chuveiro, que acaba demorando um pouco para esquentar, o que aumenta o gasto de água e de eletricidade ou gás.


Sobretudo, o contato constante da água quente com o corpo remove a camada protetora da epiderme. Sem ela, a pele acaba ficando ressecada, descascada e propícia ao surgimento ou agravamento de coceiras e alergias que acabam provocando um processo inflamatório da pele. Também pode piorar as queimaduras solares com a temperatura alta escorrendo no corpo. Portanto, a água quente potencializa a irritação da pele.


Tomar banho após as refeições não faz mal à saúde diretamente, mas, depois de comer, boa parte do nosso sangue passa a trabalhar no sistema digestivo. Quando tomamos banho muito quente, o sangue acaba sendo desviado à pele, afim de protegê-la, prejudicando o processo digestivo, causando uma digestão lenta.


Além disso, o banho frio pode auxiliar no equilíbrio de certos níveis hormonais, ajudando na recuperação gastrointestinal, podendo até impactar na perda de peso. A gordura branca é aquela que associamos a condições como obesidade e doenças cardíacas, mas todos nascemos com a gordura marrom, que é ativada pela exposição à baixa temperatura e desempenha um papel importante na saúde.


Porém, pessoas com obesidade não podem simplesmente começar a tomar banho frio para perderem peso sem alterarem outros hábitos (como prática de exercícios físicos regulares e alimentação saudável).


Tomar um banho frio duas ou três vezes por semana pode contribuir para acelerar o metabolismo – e isso, em longo prazo, pode ajudar a combater a obesidade.


Curiosidades

  • Assim como alguns atletas utilizam gelo quando ocorre algum tipo de lesão e/ou inflamação, algumas pessoas com certas enfermidades podem se beneficiar de banho frio como forma de ajudar o sangue a se mover pelo corpo mais rapidamente, como indivíduos com má circulação, hipertensão arterial e diabetes. De acordo com um estudo publicado no Journal of Sports Science and Medicine, expor-se a água fria após o exercício pode melhorar sua recuperação. Isso ocorre porque, ao reduzir a temperatura de uma área do corpo, aceleramos a entrega de sangue mais quente e oxigenado ao local, o que otimiza o tempo de recuperação da lesão.

  • O cabelo não se adapta bem ao calor em excesso. É comum perdermos entre 50 e 150 fios de cabelo no banho, no entanto, se a água estiver quente demais, esse número será maior. Além disso, o banho quente aumenta não só a oleosidade dos cabelos, mas também do rosto, das orelhas, do tronco e da região infra mamaria. A água quente faz com que sejam liberadas glândulas sebáceas, contribuindo para o aumento da oleosidade, que causa aquele aspecto sujo nos cabelos.

Fontes:


https://dvien.com.br/10-grandes-perigos-do-banho-quente-que-farao-voce-repensar-esse-habito/

https://www.ecycle.com.br/beneficios-do-banho-frio/

https://www.fundacaosanepar.com.br/?q=blog/tomar-banho-frio-%C3%A9-mesmo-bom-para-sa%C3%BAde




33 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Hormônios naturais para a menopausa

A restauração hormonal natural usada para o alívio dos sintomas da menopausa está cada vez mais comum; pode ajudar a prevenir manifestações de sintomas muito incômodos e que atrapalham o dia a dia das

Cognição na esquizofrenia

A esquizofrenia, ou distúrbio biológico do cérebro da mente dividida, é o desenvolvimento de surtos em que o mundo real é substituído por delírios e alucinações auditivas, crenças delirantes, dificuld