Buscar
  • Dra. Cláudia Klein

Insônia: causas e tratamentos

A insônia é uma doença caracterizada pela dificuldade para dormir. Diferente do que se pensa, a doença não causa apenas a redução do sono, mas afeta, diretamente, na qualidade dele. Há diversos fatores que influenciam a sua manifestação, como ansiedade, depressão, mudança de rotina, uso de medicamentos, entre outros. Seus sintomas podem ser diversos - bem como fadiga, sonolência, irritabilidade, dificuldade de concentração, desânimo e energia reduzida - e além de causar danos ao sono, afeta, também, o bem-estar.


Existem dois tipos de insônia: a curta e a crônica. A insônia curta não apresenta sintomas tão graves: geralmente duram de dois a três meses e podem ser causados pela mudança de rotina ou situações pontuais de estresse. Já a insônia crônica permanece após os três primeiros meses e ocorre por, em média, três vezes na semana. Suas causas são mais complexas e podem ser causadas por problemas emocionais ou distúrbios.


Algumas pessoas são mais vulneráveis à doença, como adultos - principalmente as mulheres, idosos e pessoas com doenças crônicas. As mulheres são mais propensas devido às mudanças causadas pelos hormônios. Com o avanço da idade, os idosos também podem apresentar dificuldade para dormir devido ao uso de medicações correspondentes à idade. As pessoas com doenças crônicas - entre elas Parkinson e Alzheimer - têm mais probabilidade de serem levadas a um quadro de insônia pelo uso de medicamentos que podem afetar o seu sono.


Alguns bons hábitos podem ajudar no combate à insônia, como estabelecer uma rotina de sono, evitar uso de nicotina e cafeína antes de dormir, praticar exercícios físicos entre a manhã e a tarde, entre outros. Existem também, outras alternativas de prevenção contra a doença, como a prática de mindfulness e o uso da acupuntura. Segundo uma pesquisa realizada pelo Departamento de Psicobiologia da UNIFESP - Medicina do Sono, um treinamento de mindfulness realizado durante 8 dias em pacientes com insônia, revelou que o método auxiliou na redução das queixas de insônia e reduziu os sintomas da ansiedade e depressão, melhorando, assim, não só a qualidade do sono, como também o bem-estar dos indivíduos envolvidos na análise. Já a acupuntura, por sua vez, é uma grande aliada no tratamento da síndrome, pois segundo dados do Centro de Pesquisa e Estudo da Medicina Chinesa de Acupuntura, houve normalização dos sonos dos pacientes em 98% dos casos de insônia tratados com acupuntura, pois a prática influencia no equilíbrio do ser humano de forma geral e, impactando na melhora do humor, da apetite e a concentração.


Diante do exposto, a insônia é uma doença que vai além da falta de sono e é preciso ficar atento quanto aos seus sinais de indício. Contudo, consulte um especialista para avaliar o seu caso e nunca faça uso de medicamentos sem prescrição médica, pois isso pode afetar ainda mais o grau da doença.


Fontes:

https://revistamedicinaintegrativa.com/meditacao-mindfulness-e-sua-aplicacao-na-insonia/

https://cliniccare.com.br/blog/insonia/problemas-na-hora-do-sono-saiba-porque-a-acupuntura-e-uma-alternativa/

https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/insonia/

https://www.neurologiaintegrada.com.br/insonia-causas-sintomas-tratamento/

0 visualização0 comentário