Buscar
  • Dra. Cláudia Klein

QUIZ: Como estão os níveis dos neurotransmissores no seu organismo?

Você sabe como estão os seus níveis de GABA, serotonina, dopamina e noradrenalina? Estes neurotransmissores podem ter sofrido um impacto negativo frente à quarentena.

Faça a seguir um breve quiz para avaliar os níveis dos neurotransmissores no seu organismo!

1- Se você apresenta irritabilidade, impaciência, intolerância, agressividade, vontade de doce e/ou compulsão, pode ser que você tem deficiência de GABA.

Pontue cada característica de acordo com:

Nunca – 0

Raro – 1

Ocasional – 2

Frequentemente – 3

E, depois, some e divida por 6.

2- Se você tem tendência a variabilidade do humor, tristeza ou depressão, compulsão alimentar, vontade de carboidratos, alteração do sono, mudanças de personalidade, tendência suicida, taquicardia ou precordialgia e/ou crises de manias ou hipomanias, você possivelmente tem deficiência de serotonina.

Pontue cada característica de acordo com os critérios do primeiro exercício, some e divida por 9

3- Se você tem astenia e adinamia, cansaço fácil, apatia matinal, falta de disposição, redução da libido, ingere muito açúcar, necessidade aumentada por café e/ou fuma mais que antes (se fuma), você pode estar com deficiência de dopamina.

Pontue cada característica de acordo com os critérios do primeiro exercício, some e divida por 8

4- E, por fim, se você vive em stress, utiliza muito sal, apresenta cansaço fácil, falta de disposição, de memória e/ou dores musculares migratórias, é sinal de que você pode apresentar uma deficiência de noradrenalina.

Pontue cada característica de acordo com os critérios do primeiro exercício, some e divida por 6.

Agora, com estes valores, é possível ter uma ideia se os níveis dos neurotransmissores estão adequados!

Se a conta der maior que 1,6 significa que existe uma falta dos respectivos neurotransmissores.

Neste caso, é importante agendar uma consulta médica para receber orientações de como aumentar os índices de GABA, serotonina, dopamina e noradrenalina.

Se você não leu meu artigo sobre como funciona a química das alterações afetivas, deve estar se perguntando “e para que servem esses neurotransmissores?”. Entenda melhor abaixo:

A dopamina está relacionada ao prazer, à motivação, euforia, compulsão, preservação e à função motora e sintonia fina.

Já a serotonina é conhecida por ter muita relação com o sentimento de felicidade. Este neurotransmissor também atua para o bom funcionamento da memória e da atenção e exerce um papel essencial para a regularização do sono.

Além de modular todas essas funções cerebrais, a serotonina também tem desempenhos primordiais em outras regiões de corpo, principalmente nos sistemas digestivo e circulatório.

Ela auxilia na contração e expansão dos vasos sanguíneos e nos movimentos intestinais que auxiliam a digestão.

É muito importante se atentar quanto aos níveis de serotonina. A sua falta provoca:

• redução acentuada do humor e do ânimo;

• dificuldade de concentração;

• irritabilidade;

• dores de cabeça;

• uma busca mais intensa por alimentos com alto teor de carboidratos.

• aumento dos níveis de ansiedade: a serotonina modula a intensidade com que o corpo responde a perigos e ameaças, tanto externas quanto internas. Níveis diminuídos do hormônio estão associados a um aumento dessa resposta ao perigo, fazendo com que as pessoas fiquem mais ansiosas.

• prejuízos na memória: as funções cognitivas do corpo, como a capacidade de manter a atenção e de aprender e guardar novos conhecimentos, envolvem áreas do cérebro e muitos neurotransmissores. A serotonina é um deles, e níveis baixos dela podem acarretar em prejuízos na capacidade de aprendizado e de consolidar informações.

• tristeza e isolamento social: baixa quantidade do neurotransmissor pode fazer com que a pessoa não sinta prazer em nenhum tipo de situação, até mesmo a reunião com amigos.

• aumento de peso: níveis menores de serotonina podem levar a um aumento da busca por alimentos calóricos, principalmente carboidratos. Além disso, existe um aumento na resposta ao estresse, incluindo um aumento dos níveis de cortisol basal, o que está associado à maior tendência a acúmulo de gordura.

A adrenalina e a noradrenalina possuem uma função primordial no mecanismo de ação de preparo corporal para uma determinada ação. O organismo libera a noradrenalina e a adrenalina em momentos de sustos, surpresas ou fortes emoções, fazendo com que seja conhecida como uma substância de resposta ao estresse. Nesse momento, os dois hormônios desencadeiam uma série de reações por todo o corpo, como: constrição dos vasos sanguíneos; respiração mais rápida; aumento das pupilas; aceleração dos batimentos cardíacos. Atuam na manutenção dos batimentos cardíacos, nos níveis de glicose e pressão sanguínea.

Conhecido como o neurotransmissor da calma e do relaxamento, o ácido gama-aminobutírico (GABA), é um aminoácido e um neurotransmissor que regula a agitação cerebral por meio da inibição do disparo excessivo dos neurônios, o que leva a uma sensação de calma.

Equilibrar adequadamente seu nível de GABA pode reduzir o estresse, fazer com que você sinta menos ansiedade e reduzir as chances de desenvolver vários problemas de saúde.

42 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

OZONIOTERAPIA

A ozonioterapia resulta de um procedimento terapêutico de aplicar uma mistura de gases oxigênio e ozônio. De maneira geral, as aplicações são aconselhadas pelo motivo do ozônio possuir propriedades an

Contato

+55 11 3051 6946

+55 11 9 9772 1633

Rua Bento de Andrade, nº 228 - Jardim Paulista, São Paulo, SP - Brasil